Escolas mais avançadas.

fevereiro 10, 2010 às 2:40 pm | Publicado em Exílio Planetário, Transição Planetária | 2 Comentários
Tags: ,

“Pergunta: Muitos acreditam que, um dia, a Terra se tornará um orbe com vida espiritual similar a de outros planetas do Sistema Solar. Qual o seu comentário sobre essa assertiva?

Ramatis: Quando vocês na Terra acabam de freqüentar uma escola primária o que fazem? Derrubam a escola e constroem no lugar uma outra escola com propósitos mais avançados? Fariam uma grande faxina e obras para que a escola fosse transformada em curso mais avançado de interesse apenas daqueles que estão terminando o primário? A adoção de uma dessas posturas estaria impossibilitando que outros alunos continuassem a freqüentar o curso primário, ou viessem no futuro a freqüentá-lo, visto que a escola foi demolida, ou transformada para atender somente aos interesses dos que já terminaram aquele curso. Por essa razão já existem escolas mais avançadas prontas, como universidades, para que possam ser transferidos para elas.

O mesmo acontece com a Terra. O astro intruso não vem destruir a escola para transformá-la numa escola do interesse exclusivo de alguns, mas para higienizá-la e tornála mais apropriada para os alunos repetentes, e para os que vêm de outros lugares para freqüentá-la. Aqueles que terminaram seus cursos são levados para escolas mais avançadas, enquanto outros, que precisam de grandes reformas, seguem com o astro intruso. A Terra, assim como disse antes, foi criada para ser uma escola a serviço da espiritualidade, e atender às necessidades carmáticas de muitos espíritos que se encontram em evolução na esfera do Universo onde ela se localiza.

Os homens devem entender que eles não são proprietários da Terra, eles estão de passagem por ela. Da mesma forma que alguém que termina um curso não passa a viver na escola como residente, ou a leva nas costas para outro lugar, mas sim os ensinamentos ali adquiridos.

Em geral, os homens prendem-se em demasia à matéria, esquecendo que existem outros planos superiores numa escala infinita, onde poderão realmente realizar os seus sonhos de paz junto a Deus.

Pergunta: Desculpe a insistência, mas então a Terra no próximo ciclo não será uma escola mais aprimorada?

Ramatis: Será, claro que sim, sofrerá importantes reformas que a tornarão uma escola com mais recursos, tal qual um educandário que inaugura laboratórios, centros de informática, teatro de grande capacidade para conferências, e outros benefícios que permitem aos antigos e novos alunos melhor aprenderem e desenvolverem suas respectivas habilidades. Entretanto, inúmeras imperfeições humanas continuarão existindo, principalmente entre os novos alunos originários de escolas mais distantes, e entre alguns que desembarcarem do astro intruso.

Quando o astro intruso passou pela última vez, há 13 mil anos, também realizou forte procedimento higienizador no planeta, e muitos benefícios foram implantados pela espiritualidade e por aqueles que migraram para a Terra trazendo novos conhecimentos. Os quais formaram a nova humanidade, a atual. Então lhes pergunto, qual o resultado? Basta ver o que acontece hoje no planeta para verificar que o livre-arbítrio não foi bem utilizado. O que significa que não basta erguer uma escola altamente equipada se parte dos alunos, por conta própria, por meio de um livre-arbítrio desequilibrado, resolve destruí-la em verdadeiros atos de vandalismo. E foi o que fizeram e estão fazendo, principalmente com a Natureza.

Da mesma forma que no final do último ciclo, falava-se de uma Terra promissora no futuro após a passagem do astro intruso. Acreditava-se que o atual ciclo seria pleno de paz e de realizações espirituais. Houve evolução? Sim, porque mesmo que a matéria perecível seja danificada, o espírito sempre evolve, mesmo que aprendendo com o erro.”

Trecho retirado do livro “O Astro Intruso e o Novo Ciclo Evolutivo da Terra” de Ramatís, psicografado por Hur-Than de Shida.

Tipos de habitantes na Terra.

dezembro 9, 2009 às 6:36 pm | Publicado em A Nova Era, Exílio Planetário | 1 Comentário
Tags: , ,

No livro “Evolução no Planeta Azul” (obra psicografada por Norberto Peixoto), Ramatís nos fala sobre os quatro grandes grupos que habitam a Terra nesse período de transição:

PERGUNTA: – Diante de vossas considerações, podeis falar-nos algo sobre o perfil espiritual e evolutivo dos seres encarnados e desencarnados que habitam a Terra?

RAMATÍS: – Pela complexidade da população terrícola e exiguidade de vosso tempo, para tão amplo assunto, que foge ao escopo da presente obra e daria facilmente uma outra, e para vosso entendimento somente, podeis catalogar quatro grandes tipos de habitantes na Terra. O primeiro grupo é composto dos mais beliscosos, os “irremediavelmente perdidos”. São aqueles para os quais não existem mais esperanças de continuar em vosso orbe, e inexoravelmente estão sendo transferidos para outras localidades cósmicas, atrasadas se comparadas com a Terra. Imorais, concupiscentes, egoístas, maldosos ao máximo, estão há milênios reencarnando e recaindo em condicionamentos arraigados de tal maneira que os levam a fracassarem seguidamente, uma vez após a outra.

O segundo grande grupo são os passíveis de “salvamento”. São aqueles para quem ainda se abrem aa portas para que possam continuar sua jornada evolutiva na Terra, nesta Nova Era planetária. Apresentam-se como náufragos, nadando num vasto oceano revolto que os ameaça engolir com as ondas tempestuosas. São os fracos de espírito, os viciados de todas as procedências, os apegados ao sensório prazeroso inferior que o corpo físico pode oferecer, que se esqueceram do Eu Superior e das coisas espirituais.

O terceiro grupo, não tão grande como os dois primeiros, é constituído pelos já “redimidos ou salvos” nas diversas provações na carne. São os que já passaram por todas as provas dolorosas da vida pela imposição da Justiça Divina que determina que a semeadura seja livre, mas a colheita obrigatória, e saíram vencedores de si próprios, submetendo o ego inferior à vontade do Eu Superior. São os simples de espírito, amorosos e fraternos. Muitos continuarão encarnados na Terra, outros adquiriram o passaporte cósmico que os levará à reinserção como cidadãos do Cosmo, conduzindo-os para outros planetas onde a vida se faz de perene felicidade, em corpos mais evoluídos.

O quarto e ultimo grande grupo é formado pelos espíritos benfeitores, guias e instrutores da humanidade que participam da Grande Fraternidade Universal. Habitam colônias socorristas no Astral, estações interplanetárias extraterrestres, e são cidadãos cósmicos de várias localidades siderais com livre trânsito cósmico.

Ramatís – separação do joio e do trigo.

novembro 12, 2009 às 5:00 pm | Publicado em Exílio Planetário | Deixe um comentário
Tags: ,

No livro “O sublime peregrino” (obra psicografada por Hercilio Maes), Ramatís nos fala da “separação do joio e do trigo, dos lobos e das ovelhas”. Segue o trecho:

PERGUNTA: — Que dizeis a respeito do dogma cató­lico, que afirma ter sido Jesus o próprio Deus encarnado, feito homem para salvar a humanidade?

RAMATÍS: — Em verdade, Jesus é o Espírito mais excelso e genial da Terra, da qual é o seu Governador Espi­ritual. Foi também o mais sublime, heróico e inconfundível Instrutor entre todos os mensageiros espirituais da vossa humanidade. A sua encarnação messiânica e a sua paixão sacrificial tiveram como objetivo acelerar, tanto quanto possível, o ritmo da evolução espiritual dos terrícolas, a fim de proporcionar a redenção do maior número possível de almas, durante a “separação do joio e do trigo, dos lobos e das ovelhas”, no profético Juízo Final já em consecução no século atual.

PERGUNTA: — Podereis referir alguns aspectos e deta­lhes, quanto ao critério dessa separação em duas ordens distintas?

RAMATÍS: — O “trigo” e as “ovelhas” simbolizam os da “direita” do Cristo: são os pacíficos, altruístas, humildes e compassivos, representantes vivos das sublimes bem-aventuranças do Sermão da Montanha. O caso é semelhante ao que se processa num jardim, quando o jardineiro decide arrancar as ervas daninhas que asfixiam as flores; e, em se­guida, aduba a terra, a fim de obter uma floração sadia e bela.

O outro grupo de espíritos situados à “esquerda” do Cristo, referidos na profecia como sendo o “joio” ou os “lobos”, compõem-se dos maus, dos cruéis, avarentos, irrascíveis, orgulhosos, egoístas, hipócritas, luxuriosos ou ciumen­tos. Semelhantes à erva daninha do jardim, eles serão “arran­cados” ou “excluídos” da Terra para um planeta inferior, compatível com suas paixões e vícios. No entanto, como o Pai jamais perde uma só ovelha do seu rebanho, tais “esquerdistas”, depois de “limpos” ou “redimidos” no exílio pla­netário purgatorial, regressarão à sua velha morada terrena para harmonizar-se à sua humanidade.

Conseqüentemente, os exilados da Terra sentir-se-ão “es­tranhos” no planeta para onde foram expulsos; e, em certas horas de nostalgia espiritual, criarão também a lenda de um Adão e Eva enxotados do Paraíso, por haverem abusado da “árvore da vida” . Então, no astro-exílio surgirá uma versão nova da lenda dos “anjos decaídos”, como já aconteceu há milênios, na Terra, por parte dos exilados de outros orbes submetidos a juízo final semelhante. E quando esses ex­patriados voltarem a reencarnar na Terra, que é a sua “casa paterna”, então o Pai se rejubilará !

No Terceiro Milênio, a Terra será promovida a um grau sideral ou curso espiritual superior, algo semelhante ao gjnásio do currículo humano, cujos inquilinos ou moradora; serão os espíritos graduados à “direita” do Cristo, conforme João diz no seu Apocalipse (Cap. XXI, vers. 27): — “Não entrará nela (Terra) coisa alguma contaminada, nem quem cometa abominação ou mentira, mas somente aqueles que estão escritos no livro da vida do Cordeiro”. Em verdade, no Terceiro Milênio, entrarão na Terra, pela “porta” da reencarnação, os espíritos devidamente ajustados ao Evangelho de Jesus, no simbolismo das “ovelhas”, do “trigo” e dos “di­reitistas”.

Homossexualismo e o “exílio”.

novembro 24, 2008 às 6:36 pm | Publicado em A Nova Era, Exílio Planetário | 1 Comentário
Tags: ,

A quem considere o homossexualismo como “pecado”. Muitas religiões condenam este ato. Mas o homossexualismo é contra as ordens divinas? O exílio incluíra os homossexuais? Hermes nos fala do assunto no livro “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos:

PERGUNTA: – Os homossexuais correm o risco de serem exilados?

HERMES: – O astro intruso atraíra basicamente a dois grupos: aqueles que praticam o mal aos seus semelhantes, causando-lhes prejuízos, e os que estão escravizados a algum vício incontrolável em desacordo com as leis divinas. Acreditamos que o homossexual que for exilado não o será pela sua opção sexual, mas sim pelo mal que possa cometer ao seu semelhante ou por ser escravo do sexo ou dos demais vícios já citados. Aqueles que optaram por uma vida a dois com pessoas do mesmo sexo, concretizando a união sexual de forma honesta e respeitosa, terão de corrigir esse comportamento no futuro, mas jamais serão exilados por essa atitude.

PERGUNTA: – E o que poderias nos dizer a respeito daqueles que condenam os homossexuais?

HERMES: – O mais sábio dos homens, Jesus, disse-nos que não deveríamos julgar para não sermos julgados. Logo, entendemos que é um grave erro julgar pessoas, mas também jamais devemos nos omitir de divulgar o comportamento crístico que deve ser seguido para alcançarmos a Luz. Julgar pessoas é um ato infeliz que desmascara os próprios erros que ainda habitam em nosso coração, mas refletir sobre comportamentos e atos incompatíveis com a busca da Luz sinaliza maturidade espiritual e reencontro com o objetivo principal de nossas vidas.

Jamais devemos condenar e discriminar qualquer irmão, seja qual for o seu ato, mas é obrigação de todo àquele que já se espiritualizou exercer o trabalho de esclarecimento espiritual, sem citar casos específicos e evitando gerar situações anti-fraternas.

Hermes nos deixa claro que não será o fato de ser ou não homossexual que influenciará no exílio dos seres que habitam a Terra. E que o ato de julgar essa opção é contra a verdade relativa que temos que seguir no nosso atual estágio de evolução.

Para mim, o problema do homossexualismo nos tempos em que vivemos é o mesmo problema que encontra a relação entre homens e mulheres. O apelo exagerado ao sexo, ao erotismo. As relações se baseiam no sexo, por puro vício e satisfação de prazeres animalescos. Este foi banalizado como sendo uma coisa que pode ser feito com qualquer pessoa, mesmo sem o casal se amar de fato. A beleza é a única coisa que conta nas relações amorosas hoje, quando a beleza acaba, o “amor” acaba também. Reflexo disso são a pedofilia, os estupros e os “crimes por amor”, infelizmente comuns em nosso sociedade hoje. Tanto casais hetero quanto casais homossexuais geralmente têm forte apelo ao sexo, sendo este o único elo que liga o casal, nada mais importando. Isto sim vai de encontro ao que Cristo nos ensinou, independente da opção sexual.

Os vícios do corpo.

novembro 19, 2008 às 9:44 pm | Publicado em Exílio Planetário | Deixe um comentário
Tags: , ,

O exílio planetário se mostra necessário devido o triste comportamento do ser humano na Terra hoje. A violência é algo comum em todos os lugares, o planeta não é tratado com respeito e está cada vez mais sendo degradado.

Os seres humanos estão cheios de vícios, que prejudicam toda a sociedade, mas principalmente prejudicam a si mesmo. Os vícios são divididos por Hermes em “vícios do corpo” e “vícios da alma”, Veremos o que ele nos diz sobre os vícios do corpo:

PERGUNTA: – Quais são as conseqüências dos vícios do corpo em relação a esse processo de transição para um novo estágio de evolução espiritual na Terra?

HERMES: – Existem os vícios que qualificamos como espirituais e que correspondem à má conduta espiritual. Por outro lado, temos aqueles que devem ser considerados como vícios materiais ou desencadeados por uma subjugação física. Nesse grupo, enquadramos todas as dependências que dizem respeito ao servilismo do espírito aos caprichos do corpo físico, como, por exemplo, o cigarro, as bebidas alcoólicas, a dependência de drogas consideradas ilícitas, como a maconha, a cocaína, o LSD, entre outras. Citamos também no grupo dos vícios do corpo a dependência sexual e as consideradas brandas, como a glutonice e a alimentação carnívora.

Como estamos para ingressar em uma nova etapa evolutiva é fundamental que o homem consiga vencer esses comportamentos degradantes que demonstram que a humanidade ainda não compreendeu que o corpo deve servir ao espírito, e não o contrário. Continuar cultivando esses vícios, de forma incontrolável, pode significar o fracasso definitivo na tentativa de manter-se na Terra da Nova Era, como já vos explicamos em capítulos anteriores.

Para quem não sabe a “glutonice” é o vício de comer, ou seja, comer em excesso e desnecessariamente. (o trecho foi retirado do livro: “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos, orientada pelo espírito Hermes)

A “transição planetária” e o “exílio planetário”.

novembro 8, 2008 às 12:39 am | Publicado em Exílio Planetário, Transição Planetária | 45 Comentários
Tags: , ,

Para que o planeta ingresse na Nova Era, ocorrerá um período de transição, em que muitas mudanças ocorrerão no planeta. Centrar-nos-emos nas informações espirituais da transição e do exílio planetário, mostrando um trecho do livro: “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos, orientada pelo Espírito Hermes. O livro é composto de perguntas e respostas, e mostremos aqui duas delas, uma sobre o “exílio planetário” e outra sobre a “transição planetária”.

PERGUNTA: – O que devemos entender por “exílio planetário”?

HERMES: – Os planetas assim como os filhos de Deus, estão inseridos em um programa evolutivo traçado pelo Criador. Ao final de um estágio de evolução em determinado mundo do Universo, os espíritos que ali reencarnaram são avaliados com o objetivo de verificar-se se eles atingiram o patamar de progresso traçado para aquele planeta, tal qual o estudante é avaliado por seus mestres a fim de ser aprovado para um novo ano letivo na escola. Aqueles que não evoluíram, segundo as metas traçadas, deverão ser exilados num mundo inferior, onde possam repetir o estágio de aprendizado que negligenciaram por séculos e séculos, nas diversas encarnações a que todo o filho de Deus é submetido em sua evolução infinita.

Jesus, em sua passagem pela Terra, nos deixou claro esse processo de avaliação ao comentar em seus ensinamentos sobre o “juízo final”. O Sábio Instrutor alertou-nos também que “a semeadura é livre, mas a colheita obrigatória”, ou seja, que deveríamos responder pelos nossos atos. Além dessas afirmações, Ele nos esclareceu que inegavelmente haveria um método de seleção espiritual que apartaria os “lobos” das “ovelhas”, o “joio” do “trigo” e os da “esquerda” dos da “direita” do Cristo.

O último estágio evolutivo, anterior ao que vivemos, encerrou-se durante as últimas décadas que antecedem a submersão da Atlântida, quando então iniciou-se uma nova fase com a vinda de espíritos exilados do sistema de Capela para a Terra. Esses acontecimentos foram narrados no primeiro capítulo de nosso último trabalho “Akhenaton – A Revolução Espiritual do antigo Egito”.

Assim, um novo agrupamento de espíritos iniciou seu processo de evolução na escola terrena e, com o passar dos séculos, adquiriu os primeiros traços de civilidade, até que, há dois mil anos, desceu ao mundo físico o governador Espiritual do planeta Terra, Jesus, e traçou o programa definitivo de redenção espiritual de nossa humanidade. Então, um prazo de aproximadamente vinte séculos foi estipulado para que os espíritos que aqui evoluem atingissem tal meta. Esse período já está se esgotando e um novo exílio planetário está em andamento, a fim de que os espíritos rebeldes sejam expurgados da Terra para um mundo primitivo.

PERGUNTA: – E o que podemos entender pelo termo “transição planetária”?

HERMES: – A transição planetária é o termo utilizado pela Espiritualidade Superior para identificar o período de transição entre o atual ciclo evolutivo e o próximo que está por vir. Nesse espaço de tempo ocorrem as transformações necessárias no globo, visando a sua adequação à nova fase de evolução, bem como o processo de exílio planetário em que os espíritos identificados como o “joio” são afastados do processo de reencarnação no mundo físico e encaminhados para o translado à sua nova escola planetária.

Esses períodos de transição abrangem em torno de cem anos do calendário terreno, sendo que o atual iniciou-se na segunda metade do século passado e deverá ser concluído até o final deste século. No decorrer desse período, proceder-se-á um gradual processo de reencarnação dos espíritos que conquistaram ingresso para viver na Terra da Nova Era pelos méritos alcançados em sucessivas encarnações. Esses irmãos vitoriosos mudarão o cenário do mundo, que será de paz e amor.

O século vinte foi identificado no Plano Astral como o “século dos trabalhadores da última hora”, em alusão à parábola de Jesus que convida os que ainda não se elegeram para a Nova Era a fazerem-no agora, nesta última encarnação, antes do Grande Exílio, o que acarretou uma grande concentração de espíritos atrasados no plano físico em um mesmo período. Como já vos dissemos, na década de sessenta do século passado, tínhamos encarnados no planeta noventa e cinco por cento de espíritos atrasados, gerando uma carga astral instável que quase acarretou um desequilíbrio generalizado em todas as áreas da evolução humana.

Agora, vivemos um período em que espíritos missionários já estão reencarnando para mudar o perfil da humanidade. Os rebeldes desencarnarão sistematicamente e o retorno gradual dos eleitos à vida física mudara a face do planeta, realizando um processo de grande avanço cientifico a moral para a humanidade terrena. Nos primeiros anos da década de setenta do século vinte e um, provavelmente já deveremos vislumbrar a nova Era consolidada, que surgirá após o processo dede transição planetária. Enquanto os seguidores do Cristo estiverem comemorando a vitória conquistada no processo evolutivo, os espíritos rebeldes estarão sendo exilados num mundo inferior, onde poderão externar todas as suas taras e desequilíbrios sem prejudicar o avanço de uma sociedade espiritualmente superior.

Lá, na “terra do ranger de dentes”, como nos preceitua o Evangelho de Jesus, eles terão dede lutar pela sobrevivência em meio a um ambiente selvagem, onde não terão tempo nem ânimo para promover o mal.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.