Servir ao próximo.

dezembro 23, 2008 às 9:26 pm | Publicado em A Nova Era, Solidariedade | Deixe um comentário
Tags:

 

Nesta época de Natal, muito se faz pelas pessoas necessitadas. Uma onda de solidariedade toma conta da sociedade, como que se o espírito natalino entrasse em nossos corações. A pergunta que fica é porque essa mobilização solidária também não ocorre nos outros meses do ano, como que se só houvessem necessitados no Natal, ou como que se um presente de Natal resolveriam os graves problemas sociais que existem.  

Mas seria o ato de servir ao próximo realmente necessário? Fechar os olhos aos que passam necessidades é errado? Veremos o que Hermes nos diz no livro “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos:

 

PERGUNTA: – A indiferença em relação à miséria alheia também seria um vício da alma?

HERMES: – Sim. Nós fomos criados para somarmos com a sociedade. A partir do momento em que nos isolamos, sem nos preocuparmos com o destino de nossos irmãos, estamos inseridos novamente em um comportamento que não corresponde ao padrão espiritual para o qual fomos criados por Deus. Se fugimos à nossa real natureza, como filhos de Deus, podemos afirmar com certeza que estamos cometendo um vício da alma.

O próprio indivíduo, ao isolar-se, começa a se prejudicar, pois cedo ou tarde necessitará de alguém ou de algo para viver. Fomos criados para interagirmos uns com os outros, e se isso não ocorre assemelhamo-nos à água parada que, com o tempo, começa a apodrecer.

O crescimento espiritual se dá por meio da prática convicta de servir ao próximo, e não de desejar ser servido. A história da humanidade é rica em grandes exemplos de almas que trabalharam pelo progresso de toda a civilização. E encontramos também o que há de pior, sempre em personalidades que foram preguiçosas, usurpadoras e que só desejavam que seus caprichos e taras fossem atendidos pela escravização de seus semelhantes. Portanto, devemos trabalhar incansavelmente para construir uma sociedade mais justa e igualitária, promovendo avanços no campo social, espiritual e científico.    

 

Ressalto aqui que Hermes fala em “almas que trabalharam pelo progresso de toda a civilização” e que “devemos trabalhar incansavelmente para construir uma sociedade mais justa e igualitária, promovendo avanços no campo social, espiritual e científico”, e não em atitudes como dar esmolas e presentes. Como já é sabido, mais vale ensinar a pescar do que dar o peixe.

 
 

 

 

Os vícios da alma.

dezembro 9, 2008 às 4:32 pm | Publicado em A Nova Era, Exílio Planetário | Deixe um comentário
Tags: ,

 

PERGUNTA: – Quais são as conseqüências dos vícios da alma em relação ao processo de transição para o novo estágio de evolução espiritual da Terra?

HERMES: – Solicitamos este capítulo especialmente para alertar os encarnados na vida física sobre os vícios da alma, que são os comportamentos rotineiros contrários às virtudes cristãs. Os vícios da alma são as atitudes daninhas, muitas vezes hipnóticas, que nos levam à ruína espiritual sem nem ao menos percebermos.

O homem atual, vítima de uma sociedade corrompida que alterou os valores morais para extravasar os seus caprichos, vive hoje um dilema de atitudes, muitas vezes justificando o injustificável, como profetizou João Evangelista no “Livro do Apocalipse”. No texto sagrado, o apóstolo afirma que chegado o “fim dos tempos” o que é certo passaria a ser considerado errado, e o que é errado passaria a ser considerado certo. Eis um retrato da sociedade humana atual!

 

PERGUNTA: – E qual seria o mais comum vício da alma?

HERMES: – A maledicência é o mais rotineiro vício de conduta da humanidade. Por causa desse veneno sutil, várias vidas são prejudicadas e relacionamentos destruídos com a famigerada “fofoca”. Falar da vida alheia, com críticas destrutivas, tornou-se um hábito deplorável que rompeu os limites aceitáveis na atual etapa evolutiva da Terra, sendo que hoje em dia chegou-se ao ponto de existirem revistas especializadas em expor de forma negativa a vida de celebridades da sociedade.

A maledicência é uma prova dos recalques milenares das almas encarnadas na Terra que ainda se comprazem com a tragédia alheia e invejam aqueles que alcançam as suas próprias metas ambiciosas. É realmente triste, mas tanto invejados como invejosos são dignos de pena. O invejado é vítima de sua própria arrogância e prepotência, frutos de seu culto exagerado à vida humana materialista e imediatista. Já o invejoso, é uma pobre criatura que sonha em ter uma posição de destaque dentro de uma sociedade ultrapassada e em franca decadência moral.

Os eleitos que se destacarão na Nova Era serão espíritos simples e desprendidos, jamais desejando serem venerados pelo culto exterior, mas sim serem lembrados por sua contribuição na construção de uma sociedade melhor. E os eleitos que não tiverem a mesma projeção social serão almas laboriosas, apenas interessadas no exemplo daqueles que se candidatarem a conduzir a sociedade, por suas aptidões políticas, religiosas, sociais ou artísticas.              

 

Fonte: “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos, orientada pelo espírito Hermes

 

O vício de comer.

dezembro 4, 2008 às 5:30 pm | Publicado em A Nova Era | Deixe um comentário
Tags: , ,

Muitas pessoas desconsideram o ato de comer como um vício, mas na verdade, o que se vê nos dias atuais é que o ato de comer virou uma diversão, o que acaba por incluí-lo como um vício, aonde as pessoas comem cada vez mais e pior, com alimentos que fazem mal a saúde, mas que satisfazem o precário anseio de sentir prazer ao comer. Prazer esse que deveria ser sentido ao se alimentar bem, sabendo que se está cuidando corretamente de seu corpo físico. Na era dos fast-food as pessoas se alimentam cada vez mais para saciar a gula ao invés da fome, se deixando levar por campanhas publicitárias ilusórias, ingerindo alimentos de origem duvidosa. Veremos o que Hermes nos diz, no livro “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos:

 

PERGUNTA: – Afirmaste no início deste capítulo que a glutonice, ou seja, o vício de comer, é também um desequilíbrio da alma. O que tens a dizer?

HERMES: – O corpo deve servir ao espírito, e não o contrário. A alimentação deve ter a finalidade de nutrir o corpo físico para que o espírito possa adquirir e manifestar o seu aprendizado na matéria. O que observamos são alguns casos de culto à mesa, sobrecarregando o organismo de uma alimentação pesada que embota os sentidos espirituais, prejudicando a ascese evolutiva do espírito imortal.

Já é tempo de o homem compreender que a alimentação deve ter a finalidade exclusiva de nutrir o corpo com saúde, e não sobrecarrega-lo de gorduras com alimentos e bebidas tóxicas para o seu bom funcionamento. Nesse caso, enquadramos também a necessidade de uma preparação para o abandono da alimentação carnívora, que será inadmissível quando a sociedade da Nova Era se consolidar, embora não seja fator para eleger ou reprovar os espíritos para o novo estágio de evolução espiritual que está por vir.

 

Hermes ressalta a importância de abandonarmos a alimentação carnívora, coisa que é tida com assustadora normalidade pela nossa sociedade, como que se matarem seres com sentimentos como nós fosse algo correto e necessário. A alimentação carnívora é vergonhosa, sendo necessária aos animais mais agressivos e violentos que vivem em nosso planeta (como os leões, tigres, tubarões, etc.). Mas o homem faz questão de se equiparar a tamanha selvageria.

Para quem deseja se livrar desse degradante hábito alimentar, procure mais informações: www.vista-se.com.br

  

 

Homossexualismo e o “exílio”.

novembro 24, 2008 às 6:36 pm | Publicado em A Nova Era, Exílio Planetário | 1 Comentário
Tags: ,

A quem considere o homossexualismo como “pecado”. Muitas religiões condenam este ato. Mas o homossexualismo é contra as ordens divinas? O exílio incluíra os homossexuais? Hermes nos fala do assunto no livro “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos:

PERGUNTA: – Os homossexuais correm o risco de serem exilados?

HERMES: – O astro intruso atraíra basicamente a dois grupos: aqueles que praticam o mal aos seus semelhantes, causando-lhes prejuízos, e os que estão escravizados a algum vício incontrolável em desacordo com as leis divinas. Acreditamos que o homossexual que for exilado não o será pela sua opção sexual, mas sim pelo mal que possa cometer ao seu semelhante ou por ser escravo do sexo ou dos demais vícios já citados. Aqueles que optaram por uma vida a dois com pessoas do mesmo sexo, concretizando a união sexual de forma honesta e respeitosa, terão de corrigir esse comportamento no futuro, mas jamais serão exilados por essa atitude.

PERGUNTA: – E o que poderias nos dizer a respeito daqueles que condenam os homossexuais?

HERMES: – O mais sábio dos homens, Jesus, disse-nos que não deveríamos julgar para não sermos julgados. Logo, entendemos que é um grave erro julgar pessoas, mas também jamais devemos nos omitir de divulgar o comportamento crístico que deve ser seguido para alcançarmos a Luz. Julgar pessoas é um ato infeliz que desmascara os próprios erros que ainda habitam em nosso coração, mas refletir sobre comportamentos e atos incompatíveis com a busca da Luz sinaliza maturidade espiritual e reencontro com o objetivo principal de nossas vidas.

Jamais devemos condenar e discriminar qualquer irmão, seja qual for o seu ato, mas é obrigação de todo àquele que já se espiritualizou exercer o trabalho de esclarecimento espiritual, sem citar casos específicos e evitando gerar situações anti-fraternas.

Hermes nos deixa claro que não será o fato de ser ou não homossexual que influenciará no exílio dos seres que habitam a Terra. E que o ato de julgar essa opção é contra a verdade relativa que temos que seguir no nosso atual estágio de evolução.

Para mim, o problema do homossexualismo nos tempos em que vivemos é o mesmo problema que encontra a relação entre homens e mulheres. O apelo exagerado ao sexo, ao erotismo. As relações se baseiam no sexo, por puro vício e satisfação de prazeres animalescos. Este foi banalizado como sendo uma coisa que pode ser feito com qualquer pessoa, mesmo sem o casal se amar de fato. A beleza é a única coisa que conta nas relações amorosas hoje, quando a beleza acaba, o “amor” acaba também. Reflexo disso são a pedofilia, os estupros e os “crimes por amor”, infelizmente comuns em nosso sociedade hoje. Tanto casais hetero quanto casais homossexuais geralmente têm forte apelo ao sexo, sendo este o único elo que liga o casal, nada mais importando. Isto sim vai de encontro ao que Cristo nos ensinou, independente da opção sexual.

Os vícios do corpo.

novembro 19, 2008 às 9:44 pm | Publicado em Exílio Planetário | Deixe um comentário
Tags: , ,

O exílio planetário se mostra necessário devido o triste comportamento do ser humano na Terra hoje. A violência é algo comum em todos os lugares, o planeta não é tratado com respeito e está cada vez mais sendo degradado.

Os seres humanos estão cheios de vícios, que prejudicam toda a sociedade, mas principalmente prejudicam a si mesmo. Os vícios são divididos por Hermes em “vícios do corpo” e “vícios da alma”, Veremos o que ele nos diz sobre os vícios do corpo:

PERGUNTA: – Quais são as conseqüências dos vícios do corpo em relação a esse processo de transição para um novo estágio de evolução espiritual na Terra?

HERMES: – Existem os vícios que qualificamos como espirituais e que correspondem à má conduta espiritual. Por outro lado, temos aqueles que devem ser considerados como vícios materiais ou desencadeados por uma subjugação física. Nesse grupo, enquadramos todas as dependências que dizem respeito ao servilismo do espírito aos caprichos do corpo físico, como, por exemplo, o cigarro, as bebidas alcoólicas, a dependência de drogas consideradas ilícitas, como a maconha, a cocaína, o LSD, entre outras. Citamos também no grupo dos vícios do corpo a dependência sexual e as consideradas brandas, como a glutonice e a alimentação carnívora.

Como estamos para ingressar em uma nova etapa evolutiva é fundamental que o homem consiga vencer esses comportamentos degradantes que demonstram que a humanidade ainda não compreendeu que o corpo deve servir ao espírito, e não o contrário. Continuar cultivando esses vícios, de forma incontrolável, pode significar o fracasso definitivo na tentativa de manter-se na Terra da Nova Era, como já vos explicamos em capítulos anteriores.

Para quem não sabe a “glutonice” é o vício de comer, ou seja, comer em excesso e desnecessariamente. (o trecho foi retirado do livro: “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos, orientada pelo espírito Hermes)

Você acredita?

novembro 11, 2008 às 11:19 pm | Publicado em Exílio Planetário | Deixe um comentário
Tags:

Falar em exílio planetário soa bastante como ficção científica. Acreditar que um grande astro se aproximará da Terra e levará com ele as pessoas más é um tanto quanto utópico. Mas o próprio Jesus no alertou disso, a mais de 2000 anos atrás! Como está no Evangelho Mateus 13, 40-43: “O que se faz com o joio, que é arrancado e queimado no fogo, far-se-á no fim do mundo. O filho do homem enviará os seus anjos e estes reunirão e levarão para fora de seu Reino todos os que são causa de escândalo e de queda, e os lançarão na fornalha do fogo; lá, haverá prantos e ranger de dentes. Então, os justos brilharão como o Sol, no Reino do Pai. Aquele que tiver ouvidos de ouvir, ouça.”. A maneira escrita na bíblia é bastante metafórica, utilizando a separação do joio e do trigo, mas parece ser bastante lógico, visto que falava para uma sociedade de 2000 anos atrás, que não estava preparada para ouvir algo mais complexo. Mas mesmo hoje, muitas pessoas ainda não estão preparadas, e desacreditam no exílio planetário, o encarando como piada. Diante disso, Hermes nos fala no livro: “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos:

PERGUNTA: – Como fazer uma pessoa acreditar no exílio planetário, se ela nem mesmo crê na existência da vida espiritual?

HERMES: – Cada filho de Deus vive um diferente nível evolutivo e consciencial nas infinitas escolas planetárias do Universo. Como citamos na resposta anterior, ainda existem espíritos encarnados na Terra que crêem ser o excelso Jesus o próprio Criador. Logo, informações complexas e fantásticas são mais difíceis de serem compreendidas por consciências ainda limitadas. Acreditamos que nem mesmo este capítulo será suficiente para convencer alguns irmãos aprisionados pelo convencionalismo da vida humana.

Mas, como já afirmamos neste trabalho, não é a crença no exílio planetário ou na existência da vida espiritual que definirá quem são os eleitos do Cristo para a Nova Era, mas sim o comportamento sintonizado com as virtudes superiores. É óbvio que a crença nestas informações auxilia na transformação espiritual, mas isso não é fundamental. O importante, neste momento, é amar e respeitar o seu próximo como a si mesmo.

Veremos no “juízo final” irmãos que crêem ser Deus um “velhinho barbudo sentado sobre as nuvens”, e até mesmo ateus, mas que vivem o Evangelho do Cristo naturalmente. Estes serão eleitos para a Nova Era na Terra por atingirem a meta estabelecida pelo alto, enquanto especialistas em espiritualismo, mas que esquecerem a prática das virtudes cristãs, serão atraídos inevitavelmente para o astro intruso, por possuírem o conhecimento, mas uma alma indiferente para com o amor e a fraternidade apregoados pelo sublime Jesus e os demais avatares da Terra.

A “transição planetária” e o “exílio planetário”.

novembro 8, 2008 às 12:39 am | Publicado em Exílio Planetário, Transição Planetária | 45 Comentários
Tags: , ,

Para que o planeta ingresse na Nova Era, ocorrerá um período de transição, em que muitas mudanças ocorrerão no planeta. Centrar-nos-emos nas informações espirituais da transição e do exílio planetário, mostrando um trecho do livro: “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos, orientada pelo Espírito Hermes. O livro é composto de perguntas e respostas, e mostremos aqui duas delas, uma sobre o “exílio planetário” e outra sobre a “transição planetária”.

PERGUNTA: – O que devemos entender por “exílio planetário”?

HERMES: – Os planetas assim como os filhos de Deus, estão inseridos em um programa evolutivo traçado pelo Criador. Ao final de um estágio de evolução em determinado mundo do Universo, os espíritos que ali reencarnaram são avaliados com o objetivo de verificar-se se eles atingiram o patamar de progresso traçado para aquele planeta, tal qual o estudante é avaliado por seus mestres a fim de ser aprovado para um novo ano letivo na escola. Aqueles que não evoluíram, segundo as metas traçadas, deverão ser exilados num mundo inferior, onde possam repetir o estágio de aprendizado que negligenciaram por séculos e séculos, nas diversas encarnações a que todo o filho de Deus é submetido em sua evolução infinita.

Jesus, em sua passagem pela Terra, nos deixou claro esse processo de avaliação ao comentar em seus ensinamentos sobre o “juízo final”. O Sábio Instrutor alertou-nos também que “a semeadura é livre, mas a colheita obrigatória”, ou seja, que deveríamos responder pelos nossos atos. Além dessas afirmações, Ele nos esclareceu que inegavelmente haveria um método de seleção espiritual que apartaria os “lobos” das “ovelhas”, o “joio” do “trigo” e os da “esquerda” dos da “direita” do Cristo.

O último estágio evolutivo, anterior ao que vivemos, encerrou-se durante as últimas décadas que antecedem a submersão da Atlântida, quando então iniciou-se uma nova fase com a vinda de espíritos exilados do sistema de Capela para a Terra. Esses acontecimentos foram narrados no primeiro capítulo de nosso último trabalho “Akhenaton – A Revolução Espiritual do antigo Egito”.

Assim, um novo agrupamento de espíritos iniciou seu processo de evolução na escola terrena e, com o passar dos séculos, adquiriu os primeiros traços de civilidade, até que, há dois mil anos, desceu ao mundo físico o governador Espiritual do planeta Terra, Jesus, e traçou o programa definitivo de redenção espiritual de nossa humanidade. Então, um prazo de aproximadamente vinte séculos foi estipulado para que os espíritos que aqui evoluem atingissem tal meta. Esse período já está se esgotando e um novo exílio planetário está em andamento, a fim de que os espíritos rebeldes sejam expurgados da Terra para um mundo primitivo.

PERGUNTA: – E o que podemos entender pelo termo “transição planetária”?

HERMES: – A transição planetária é o termo utilizado pela Espiritualidade Superior para identificar o período de transição entre o atual ciclo evolutivo e o próximo que está por vir. Nesse espaço de tempo ocorrem as transformações necessárias no globo, visando a sua adequação à nova fase de evolução, bem como o processo de exílio planetário em que os espíritos identificados como o “joio” são afastados do processo de reencarnação no mundo físico e encaminhados para o translado à sua nova escola planetária.

Esses períodos de transição abrangem em torno de cem anos do calendário terreno, sendo que o atual iniciou-se na segunda metade do século passado e deverá ser concluído até o final deste século. No decorrer desse período, proceder-se-á um gradual processo de reencarnação dos espíritos que conquistaram ingresso para viver na Terra da Nova Era pelos méritos alcançados em sucessivas encarnações. Esses irmãos vitoriosos mudarão o cenário do mundo, que será de paz e amor.

O século vinte foi identificado no Plano Astral como o “século dos trabalhadores da última hora”, em alusão à parábola de Jesus que convida os que ainda não se elegeram para a Nova Era a fazerem-no agora, nesta última encarnação, antes do Grande Exílio, o que acarretou uma grande concentração de espíritos atrasados no plano físico em um mesmo período. Como já vos dissemos, na década de sessenta do século passado, tínhamos encarnados no planeta noventa e cinco por cento de espíritos atrasados, gerando uma carga astral instável que quase acarretou um desequilíbrio generalizado em todas as áreas da evolução humana.

Agora, vivemos um período em que espíritos missionários já estão reencarnando para mudar o perfil da humanidade. Os rebeldes desencarnarão sistematicamente e o retorno gradual dos eleitos à vida física mudara a face do planeta, realizando um processo de grande avanço cientifico a moral para a humanidade terrena. Nos primeiros anos da década de setenta do século vinte e um, provavelmente já deveremos vislumbrar a nova Era consolidada, que surgirá após o processo dede transição planetária. Enquanto os seguidores do Cristo estiverem comemorando a vitória conquistada no processo evolutivo, os espíritos rebeldes estarão sendo exilados num mundo inferior, onde poderão externar todas as suas taras e desequilíbrios sem prejudicar o avanço de uma sociedade espiritualmente superior.

Lá, na “terra do ranger de dentes”, como nos preceitua o Evangelho de Jesus, eles terão dede lutar pela sobrevivência em meio a um ambiente selvagem, onde não terão tempo nem ânimo para promover o mal.

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.